segunda-feira, 21 de junho de 2010

Convite Inauguração Templo Sede






A Igreja Evangélica Assembleia de Deus Templo Central em Solonópole – CE tem a honra de convidá-lo para uma Cerimônia muito especial, a Inauguração do nosso Templo Sede. Ficaremos felizes em receber você e sua família.

A Programação contará com a participação de diversos líderes e convidados especiais como você.




No ensejo estaremos comemorando também o Aniversário do Pr. Salviano que completa mais um ano de muitas bênçãos...

Pr. Salviano B. Leandro
Pastor – CGADB 29880





Programação:



Sexta 02 de Julho na Avenida do Estudante.



Louvor com Mattos Nascimento, 19:00 h





Sábado 03 de Julho no Ginásio Poliesportivo. 
Louvor com Léa Mendonça, 19:00 h

Domingo 04 de Julho de 2010.
Inauguração do Templo Sede
Local: Rua Vereador Antonio Valterno Nogueira, 261
Horário: 18:00 h
(Rua do Banco do Brasil)

Informações: 88 9944 3745 (Pb. Gesiel Lins – Organização)
           88 3518 1810 (Pr. Salviano)

sábado, 19 de junho de 2010

PRIMEIROS EVANGÉLICOS NO BRASIL III


Historiador AD
Desligamento. A direção da Igreja Batista, ao tomar conhecimento do ocorrido, não aceitou o que estava acontecendo com os membros da mesma. Havia necessidade de uma tomada de posição. Como ponto de partida, houve convocação da igreja para uma reu nião extraordinária, realizada em 13 de junho de 1911.
 Nessa ocasião, o irmão Raimundo Nobre apoderou-se do púlpito e atacou os partidários do Movimento Pentecostal, fazendo a proposição para ficarem de pé os que estivessem de acordo com a doutrina do Espírito Santo. Diante do desafio, a maioria se pôs de pé. Imediatamente Raimundo Nobre propôs à minoria que excluísse a maioria.[1]
Em seus diários, Gunnar Vingren e Daniel Berg contam que 18 irmãos se levantaram.[2] O historiador Emílio Conde cita que foram afastados 17 membros, acompanhados de seus filhos que eram menores de idade.
De qualquer modo, não havendo transigência, os mesmos foram afastados da Igreja Batista.
No entanto, na checagem de várias fontes, dão-se conta que foram, no mínimo, 20 irmãos os membros que resolveram seguir o caminho do Pentecostes, logo no início da igreja. Possivelmente, alguns dos constantes da relação abaixo não estivessem presentes àquela reunião e, somente após esse incidente, tenham se agregado ao grupo.
Os irmãos afastados foram: Alberta Mendes Garcia (esposa de Adriano P. Nobre); Antônio Mendes Garcia; Joaquim da Silva e Benvinda Saraiva da Silva (esposa); Henrique Albuquerque e Celina Albuquerque (esposa); Emilia Dias Rodrigues; Manoel Maria Rodrigues e Jezusa Dias Rodrigues (esposa); Joana Dias Dominguez; João Dias Dominguez e Raimunda Dominguez (esposa); José Batista de Car valho e Maria José Pinto de Carvalho (esposa); Josina Galvão Batista; Manoel Dias Rodrigues; Maria Joana Soares; Maria de Nazaré Cordeiro de Araújo; José Plácido da Costa e Maria Piedade da Costa (esposa).
Os filhos menores que os acompanharam, foram: Anna Victória da Silva e Izabel Leonísia da Silva (filhas de Benvinda); João Dominguez Filho (filho João Dias Dominguez); Prazeres da Costa (filha de Maria Piedade da Costa); Tereza Silva de Jesus (filha de Joaquim da Silva).[3]
Todos estes irmãos acompanharam Daniel Berg e Gunnar Vingren, para darem início à Assembleia de Deus, que primeiramente passou a se reunir na Rua Siqueira Mendes, 67, na casa do casal Celina e Henrique Albuquerque, no centro da cidade de Belém. Na verdade, segundo Emílio Conde, esse grupo é que convidou os missionários a comparecerem nesse endereço e legitimou sua liderança pastoral à frente da novel igreja.[4]
 Primeiro homem batizado no Espírito Santo. O primeiro homem a receber o batismo com o Espírito Santo, segundo consta nos registros históricos da igreja, foi o irmão Manoel Francisco Dubu. Ele era paraibano, mas morou cerca de 17 anos no Pará, onde aceitou a Cristo numa Igreja Presbiteriana, nos idos de 1907. Quando a Igreja em Belém ainda estava no nascedouro, abraçou a fé pentecostal, recebendo a gloriosa promessa. Ele conviveu durante muitos anos com os pioneiros, deles aprendendo preciosas lições.
Depois de haver sido batizado nas águas, ele retornou à sua terra natal, em 17 de dezembro de 1914, sendo o primeiro crente e o primeiro evangelista na Paraíba, onde levou muitas pessoas ao conhecimento de Jesus. Manoel Francisco Dubu foi separado para o presbitério por Cícero Canuto de Lima (1935), tendo servido por muitos anos como presbítero na Assembleia de Deus em Campina Grande.


[1] História das Assembleias de Deus no Brasil, pg. 32.
[2] Diário do Pioneiro, pg. 41; Enviado por Deus, pg. 57.
[3] Informações fornecidas pelo pesquisador Samuel Nelson
[4] História das Assembleias de Deus no Brasil, pg. 32.
[5] Mensageiro da Paz, Ano 37, No. 20, Out/1967, pg. 1.

PRIMEIROS EVANGÉLICOS NO BRASIL II


Historiador AD
Rua Azuza. Porém, é opinião geral dos historiadores que a face mais importante do Movimento Pentecostal deu-se na Rua Azuza, em Los Angeles, Califórnia, em 1906, com o pastor William J. Seymour, que foi o instrumento usado por Deus para pregar ardorosamente sobre a promessa do batismo no Espírito Santo. Seu acentuado zelo pela pureza da obra do Senhor levou muitas pessoas a se interessarem em buscar a preciosa bênção dos céus, mesmo aquelas filiadas a outras igrejas.
 William J. Seymour, um santo pregador negro, filho de escravos, caminhou sob a influência do Movimento de Fé Apostólica(como o Movimento Pentecostal foi primeiramente conhecido) em Houston, Texas. Charles Parhan tinha aberto outra escola naquela cidade, nos idos de 1905. Foi lá que Seymour recebeu instruções sobre a doutrina pentecostal.[1]
Embora fosse admoestado pelos irmãos em Houston a não partir para Los Angeles, não até que houvesse recebido o batismo pentecostal, Seymour mesmo assim se sentiu impelido a aceitar o convite que lhe fora feito. O resultado de sua ida àquela cidade é bem conhecido, pois em Los Angeles, Califórnia, em 9 de abril de 1906, quando a primeira pessoa na cidade recebeu o batismo no Espírito Santo, de acordo com o modelo bíblico, houve uma reação em cadeia que espalhou a mensagem pentecostal por todas as principais cidades Norte-americanas, principalmente para a cidade de Chicago, onde quase todas as igrejas evangélicas receberam a promessa gloriosa.
Esse movimento se alastrou por várias partes do mundo e caracterizou-se por acentuar o espírito missionário entre os crentes e, conseqüentemente, o interesse em disseminar a sã doutrina entre outros povos, até aos confins da terra, inclusive o Brasil.
 DOIS HOMENS E UMA CHAMADA
 Deus escolheu os missionários suecos Daniel Berg e Gunnar Vingren para executarem a proclamação do seu plano de salvação em terras brasileiras.
Durante o citado avivamento nas igrejas americanas, Gunnar Vingren ansiosamente buscou o batismo no Espírito Santo. Depois de cinco dias de oração, recebeu também o cumprimento da promessa.[2] Daniel Berg já havia sido instruído sobre essa gloriosa experiência, quando de sua ida à Suécia em visita aos seus familiares. Ao retornar para os Estados Unidos, ainda na viagem, recebeu o batismo no Espírito Santo. Uma vez que ambos haviam recebido a bênção, sua experiência de fé os fez colocarem suas vidas no altar, quando Deus os escolheu para esta grande missão: trazer a mensagem pentecostal para o Pará.
 A chamada. Isto ocorreu durante o verão de 1910, num sábado à tarde, quando Gunnar Vingren e Daniel Berg visitavam o irmão Olaf Adolfo Ulldin. O Senhor usou tão poderosamente este servo de Deus, que lhes transmitiu uma revelação do Senhor para partirem como missionários ao Brasil, mais precisamente ao Pará. O lugar indicado por Deus era-lhe totalmente desconhecido. Localizando no mapa o distante Norte do Brasil, cheios de ânimo e determinação, começaram a preparar-se para sua nova missão.
O pastor Gideon Ulldin, filho de Adolfo Ulldin, quando da sua visita ao Brasil por ocasião do Jubileu de Ouro das Assembleias de Deus (1961), descreveu como se deu a revelação de Deus que trouxe os pioneiros à nossa terra:

Foi na casa de meus pais, na cidade de South Bend, estado de Indiana (EUA), no ano de 1910, que os irmãos Gunnar Vingren e Daniel Berg receberam a sua chamada para o Brasil. Esses irmãos durante várias semanas hospedaram-se em nossa casa, e oravam constantemente ao Senhor para Ele os guiar quanto ao lugar onde deveriam dedicar suas vidas.
Certo dia, meu pai, Olaf Ulldin, que era um simples pintor de casas, contudo um homem de oração, fazia um trabalho na cozinha de nossa casa, quando repentinamente veio sobre ele o Espírito do Senhor. Ele ajoelhou-se e logo a família fez o mesmo, como também os hóspedes Gunnar Vingren e Daniel Berg.
Eu, um menino de onze anos nesse tempo, ouvi meu pai falar em profecia a esses jovens pastores: “Ireis ao Pará. O seguinte é um hino que ouvireis quando ali chegardes”. Meu pai então cantou em língua estranha (realmente em Português, língua que não conhecia sendo nascido na Suécia) um hino que mais tarde os missionários puderam identificar. Tudo isso foi debaixo da unção e da inspiração do Espírito Santo.[3]
 Junte-se à revelação divina, a confirmação dos seguintes detalhes: o mapa do Pará, tipo de alimento dos paraenses, sua língua, a data da viagem. Tudo confirmado! Ao obedecerem à comissão que lhes fora confiada, credenciaram-se às bênçãos dos céus e ao galardão pelas almas ganhas no Brasil. Assim, eles trouxeram a mensagem pentecostal para o País, chegando a Belémno dia 19 de novembro de 1910.
Ao desembarcarem, logo descobriram que tudo lhes era estranho, de modo que encontraram muitas dificuldades, principalmente a barreira do idioma. Tais dificuldades foram aumentadas com a falta de recursos financeiros, pois além de serem pobres, não eram mantidos por nenhuma organização missionária, enviados que foram unicamente por Deus, que se incumbiu de providenciar-lhes o necessário.
De fato, o Senhor dirigiu a vida de seus servos. De início, conseguiram alojamento, por alguns dias, no porão de um templo da Igreja Batista, na Rua João Balbi, 406.
As igrejas protestantes de então tomaram conhecimento da chegada dos missionários, e estes, por sua vez, passa ram a receber convites para visitá-las. Nessas ocasiões, os missionários apenas cantavam hinos de louvor a Deus em seu próprio idio ma, pois pouco conheciam da Língua Portuguesa.
Quando começaram a entender o nosso idioma, iniciaram, de fato, o trabalho para o qual o Senhor os tinha enviado. Testificavam de Jesus, enfatizando a salvação, o batismo com o Espírito Santo, a cura divina e o uso dos dons espirituais.
A princípio, poucos membros da Igreja Batista se interessaram por essa doutrina, pois acreditavam ser a mesma ultrapassada. Mas, à medida que Daniel Berg e Gunnar Vingren procuravam ensinar-lhes, comprovando a sua atualidade através da Bíblia Sagrada, o grupo de interessados crescia, e isso fez com que surgissem facções dentro daquela igreja.
Havendo divergência, somente alguns aceitaram a doutrina. Todavia, a atitude dos irmãos que rejeitavam não foi obstáculo para que os pioneiros recuassem ou ficassem temerosos. Pelo contrário, tornaram-se mais ousados, pois criam que o Senhor era com eles.
O tempo passava. Seis meses depois da chegada dos missionários, o irmão Gunnar Vingren foi convidado para dirigir um culto de oração e, ao fazer uso da Palavra, falou da necessidade de o crente ser revestido do poder do alto. A maioria dos presentes alegrou-se com a doutrina.
Primeiro batismo no Espírito Santo. Outras reuniões de oração foram realizadas nas casas de al guns membros daquela igreja, os quais clamavam insistentemente a Deus, pois já reconheciam que a doutrina do batismo com o Espí rito Santo poderia se tornar uma realidade em suas vidas.
Sendo assim, ao alvorecer do dia 8 de junho de 1911, a irmã Celina Albuquerque, orando em sua casa, juntamente com outros irmãos, teve o privilégio de ser a primeira evangélica brasileira a receber o cumprimento da promessa, falando em línguas, tal como os primitivos cristãos no dia de Pentecostes.
No dia seguinte, a irmã Maria de Nazaré de Araújo foi também batizada com o Espírito Santo.


[1] SLICK, Matthew J. Breve Histórico do Pentecostalismo.
 [2] VINGREN, Ivar. Diário do Pioneiro, pg. 25.
[3] Mensageiro da Paz, Ano 31, Ago/1961, pg. 4.

PRIMEIROS EVANGÉLICOS NO BRASIL I

Historiador AD
Coube ao Brasil a honra de ter tido a realização do primeiro culto evangélico do Atlântico Sul, o que ocorreu em 10 de março de 1557, pelos primeiros cristãos evangélicos que aportaram no Novo Mundo. Nesta data, chegou ao Brasil a segunda expedição de colonos franceses, a fim de estabelecerem a França Antártica em terras brasileiras. O culto foi dirigido pelo pastor calvinista francês (huguenote) Pierre Richier, na Ilha de Villegaignon, na Baía de Guanabara (RJ), lugar onde está localizada a Escola Naval da Marinha do Brasil, o estabelecimento de ensino militar mais antigo do País.
         O vice-almirante francês Nicolau Durand de Villegaignon, comandante da primeira expedição, escrevera a João Calvino, líder da Igreja Reformada em Genebra, solicitando membros daquela igreja para estabelecerem aqui uma obra cristã nos moldes daquela, para se encarregarem da evangelização dos naturais da colônia e da catequese em geral. Calvino enviou 14 huguenotes, entre os quais dois pastores – Du Pont de Corguilleray, líder do grupo; e Pierre Richier, pastor e doutor em teologia – e um estudante de teologia, que serviu como cronista.
No culto citado, eles cantaram o Salmo 5 (de melodia desconhecida hoje); em seguida, Richier fez a leitura bíblica (Salmo 27.3,4), tendo proferindo um inspirado sermão. Todas as noites havia reuniões, onde oravam e pregavam a Palavra de Deus. Aos domingos, havia duas reuniões. A primeira Santa Ceia em terras brasileiras foi celebrada num domingo, em 21 de março de 1557.[1]
 PRIMEIRAS IGREJAS
 Foi somente nos idos de 1810 que os cultos evangélicos passaram a ter caráter definitivo no Brasil, com a fundação da Igreja Anglicana no Rio de Janeiro.
A partir daí, outras denominações evangélicas foram organizadas, a saber:
▪ Igreja Metodista (1835);
▪ Igreja Luterana (1845);
 Igreja Congregacional (1855);
 Igreja Presbiteriana (1862);
 Igreja Batista (1882);
 Igreja Episcopal (1890);
 Igreja Adventista (1895);
 Congregação Cristã (1910);
 Assembleia de Deus (1911).
 Doravante, outras denominações evangélicas foram organizadas no Brasil, mas nos deteremos apenas na fundação da Assembleia de Deus, pois com ela iniciou a obra pentecostal de maior vulto no Brasil, e que é considerada um dos maiores fenômenos da fé pentecostal no mundo. Essa obra, contudo, é fruto do avivamento pentecostal que eclodiu no início do Século XX.
 O AVIVAMENTO PENTECOSTAL NO SÉCULO XX
 O avivamento pentecostal do século XX começou na sede do Bethel Bible School, na cidade de Topeka, estado do Kansas (EUA), quando Deus batizou com o Espírito Santo os primeiros crentes no Século XX.[2]
Embora houvesse notáveis movimentos do Espírito Santo, nos quais falar em línguas, profecia e curas foram experimentados, nenhum desses reavivamentos desembocou para um “Movimento Pentecostal”, tal como resultou do derramamento do Espírito que tomou lugar na virada do século no Bethel Bible College, de Charles F. Parham. Quando os estudantes entenderam, a partir de seus estudos nas Escrituras, que a evidência bíblica do batismo no Espírito Santo é o falar em língua, e então buscaram essa experiência, o tempo tinha chegado para a inauguração do Movimento que viria a envolver todo o mundo.
Primeiro batismo. Em 1º de Janeiro de 1901, uma jovem estudante do Bethel, de nome Agnes N. Ozman, pediu que lhe fosse feita imposição de mãos pelos pastores e líderes, pois cria que iria receber o batismo no Espírito Santo, de acordo com o modelo indicado no livro de Atos dos Apóstolos. Estes responderam ao seu pedido e impuseram as mãos sobre ela; então, Deus honrou a fé daquela jovem e batizou-a com o Espírito Santo, de modo que ela falou em línguas estranhas e glorificou o nome do Senhor.
Esta, porém, não foi a primeira vez, desde os dias apostólicos, que o Espírito fora derramado, acompanhado por manifestações espirituais incluindo profecias e falar em línguas. Nos Estados Unidos, há notícia do mover do Espírito Santo nos idos de 1854 na Nova Inglaterra, sobre aqueles que eram conhecidos como The Gift People.[3]
 www.adbelem.org.br
[1]Mensageiro da Paz, Ano 37, No. 21, Nov/1967, pg. 8.
[2] Mensageiro da Paz, jun/1961, pg. 3.
[3] FRODSHAM, Stanley H. With Signs Following (Springfield, Gospel Publishing House, 1941), 253–262.

sexta-feira, 18 de junho de 2010

Igreja Assembléia de Deus tem crescimento mundial de 1,6 milhões de membros



AD continua a crescer: potencial futuro é ainda maior



AD continua a crescer: potencial futuro é ainda maior

As Assembleias de Deus nos Estados Unidos e ao redor do mundo estão em crescimento. De acordo com Sherri Doty, o estatístico para as Assembléias de Deus, o número de adeptos nos Estados Unidos aumentou quase 15 mil pessoas em 2009, totalizando 2.914.669 - um aumento de 0,5%.

Mundialmente, o número de adeptos das ADs aumentou 2,5%, um ganho de cerca de 1,6 milhão de pessoas, e atingiu um total de 63.090.251.

O Superintendente Geral das ADs nos Estado Unidos, Dr. George O. Wood, afirmou que, embora o sobressalto de 0,5% não tenha sido tão alto, ele está feliz porque em 2010, 133 novas igrejas já foram plantadas, e até o final do ano ele acredita que esse número deva chegar a 300.

Wood disse ainda que as Assembléias de Deus estão trabalhando para o plantio de pelo menos 500 novas igrejas por ano. "Plantar novas igrejas tem sido provado ser o melhor caminho para levar pessoas para Cristo. Há um entusiasmo para uma nova Igreja, as pessoas são atraídas para ela. A 
Church Multiplication Network trabalha duro para ajudar a tornar a plantação de novas igrejas mais fácil", disse Wood.

Em outras áreas da estatística, nas Assembleias de Deus nos EUA, foi registrado um crescimento na adesão oficial de membros de 47.928 (2,9%), chegando a 1.710.560; e um aumento na frequência nos principais cultos de 27.315 (1,5%), o que totaliza 1.827.302 pessoas.




Fonte: Assemblies of God USA / Redação CPADNews

terça-feira, 15 de junho de 2010

6º Culto de Santa Ceia do ano de 2010

Estamos gratos a Deus por mais uma abençoada Santa Ceia do Senhor. Deus Seja louvado...
Esteve conosco o Pr. Ozanan e esposa da Igreja Assembleia de Deus em Pitombeira, veio acompanhado também do Ir. Ricardo e sua esposa.
Deus se fez presente e juntos sentimos a voz de Deus falar conosco através do Pr. Ozanan.

Participe você também da Santa Ceia do Senhor.
2º Sábado do mês, esperamos você e sua familia.

Pr. Salviano, Pr. Ozanan e sua Esposa.



Que Deus possa derramar da suas bençãos em nossas vidas. Amém.

Mattos Nascimento e Lea Mendonça "Pela PAZ e contra as drogas"


Pela Primeira em Solonópole !!!
Mattos Nascimento. O fenômeno da música gospel !!!
Um evento pela PAZ e contra as drogas.
Dia: 02 de Julho

Participação:
Banda Som de Adoradores - Solonópole
Cantor Diassis Feitosa - Solonópole



Sábado dia 03 de julho no Ginásio Poliesportivo de Solonópole
Léa Mendonça, superando as expectativas

PARTICIPE !!!!